Conflitos matam 17 paramilitares na Colômbia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 24 de março de 2004 as 22:50, por: cdb

Pelo menos 17 paramilitares das Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC) morreram nesta quarta-feira em combates com o Exército no nordeste do país. Outros dez foram capturados.

Um porta-voz da instituição disse que os confrontos aconteceram em um lugar conhecido como Norosí, em uma zona rural do sul do caribenho departamento de Bolívar. Inicialmente, as autoridades anunciaram que os combates se passavam em um setor rural do porto fluvial petroleiro de Barrancabermeja (390 quilômetros ao nordeste de Bogotá), mas a informação foi retificada.

Os corpos de 14 dos 17 paramilitares abatidos já foram recuperados e o saldo de mortos e capturados pode aumentar. Segundo o relatório, os confrontos entre esses grupos de ultradireita e as tropas da II Divisão do Exército começaram de manhã cedo e se estendiam durante esta noite.

“As operações continuam, é um grupo das Autodefesas que castigou esta região por vários anos. Antes, estavam os do ELN (Exército de Libertação Nacional, segunda guerrilha do país). Estamos combatendo com força o terrorismo”, afirmou o porta-voz. Também foram apreendidas 17 armas e munição.

As AUC, inimigas dos rebeldes do ELN e das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc, maior guerrilha deste território), estão comprometidas com um processo de paz com o governo. Apesar do plano de paz, as forças de segurança continuam combatendo os paramilitares, que decretaram unilateralmente em 1º de dezembro de 2002 um cessar-fogo e fim de hostilidades, que, segundo o governo, foram descumpridos.