CONFLITO NA REGIÃO DE AYSÉN PROVOCA RENÚNCIA DO MINISTRO DA ENERGIA

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 27 de março de 2012 as 09:04, por: cdb

SANTIAGO DO CHILE, 27 MAR (ANSA) – O conflito na região de Aysén, no Chile, que terminou em um acordo com o Executivo chileno na semana passada, provocou a renúncia do ministro da Energia, Rodrigo Álvarez, da União Democrática Independente (UDI), da base de apoio do governo.
   
Álvarez foi o primeiro encarregado do governo a visitar a região, com um suposto respaldo total do governo. Apesar disso, um chamado de Santiago, minutos antes iniciar as conversas, pediu que ele exigisse o total desbloqueio das estradas e pontes, o que causou confusão entre os dirigentes sociais e inflamou o ambiente.
   
Encarregado até quinta-feira das negociações, ele foi excluído do diálogo e do acordo conquistado em Santiago entre o Executivo e o movimento social da região. O ministro chegou a afirmar que se inteirou pela imprensa de que o governo tinha decidido receber no Palácio La Moneda os líderes de Aysén.
   
O presidente da UDI, Patrício Melero, expressou que o motivo da reclamação de Álvarez é o fato dele não ter participado das negociações finais, “depois de ter dado a cara em nome do governo por muitos dias”.Para Melero, “as coisas evoluíram e felizmente se alcançou um acordo com os dirigentes no La Moneda, mas Álvarez deveria ter tido um papel também protagonista nesta segunda instância, que aconteceu em Santiago, mas não teve”. (ANSA)