Condoleezza Rice diz que ‘a hora da diplomacia é agora’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 18 de janeiro de 2005 as 17:22, por: cdb

Condoleezza Rice, indicada pelo presidente americano George W. Bush para o posto de secretária de Estado, prometeu buscar o fortalecimento das relações entre os Estados Unidos e seus aliados.

Durante uma sessão do Senado para confirmar a sua indicação para o comando da política externa, ela disse que agora “é a hora para a diplomacia”.

Segundo Rice, Washington deve “interagir com o resto do mundo por meio de uma conversa e não de um monólogo”.

– Devemos utilizar a diplomacia americana para ajudar a criar um equilíbrio de poder no mundo que favoreça a liberdade – declarou.

Apesar de defender o diálogo e a diplomacia, ela voltou a indicar que Washington não descarta adotar ações unilaterais – ela sugeriu que os Estados Unidos não deixarão que seus tradicionais aliados ou organizações multilaterais impeçam ação “efetiva” americana.

Oriente Médio

Na opinião dela, enquanto o que chamou de “grande Oriente Médio” continuar a ser uma região de “tirania”, os extremistas continuarão a ameaçar a segurança dos Estados Unidos e de seus parceiros.

Rice – que até agora atuava no governo de George W. Bush como conselheira de Segurança Nacional da Casa Branca – acrescentou, porém, que há sinais positivos na região. Ela citou as eleições do Iraque (em 30 de janeiro) e o momento de oportunidade para o fim do conflito entre israelenses e palestinos.

Indagada sobre um eventual cronograma para a retirada das tropas americanas do Iraque, ela disse não ser capaz de apresentar planos com datas no momento.

– O objetivo é completar a missão. No momento estamos concentrados em garantir a segurança para a eleição (de 30 de janeiro).

As audiências de confirmação de Rice no Senado devem durar dois dias. Espera-se que não haverá obstáculos para a sua aprovação como sucessora de Colin Powell.

Condoleezza Rice pertence ao círculo íntimo do presidente Bush e muitos a descrevem como praticamente parte da família do presidente.

Ela elogiou Bush em vários momento durante a sessão do Senado, defendendo a atuação dele na “guerra ao terror” após os atentados de 11 de setembro de 2001.

Além de falar bastante sobre o Oriente Médio, ela destacou ainda a necessidade de Washington continuar a tentar dissuadir o Irã e a Coréia do Norte de seus planos de desenvolver armas nucleares.

O processo de aprovação de Rice como secretária de Estado ocorre na semana em que Bush inaugura o seu segundo mandato presidencial (nesta quinta-feira).