Como aumentar o poder do cérebro do seu bebê?

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 17 de novembro de 2002 as 14:06, por: cdb

Mais de 360 mil bebês nascem diariamente no planeta. Qual deles vai crescer e ser um novo Shakespeare, ou descobrir a cura do câncer ou talvez mesmo provar que Einstein estava errado?

Para ter um bebê mais esperto, os especialistas dizem que nem tudo está nos livros – o desenvolvimento emocional tem um papel importante na formação de crianças inteligentes.

“Nós realmente precisamos mudar aquela histórica dicotomia de cognição de um lado, emoções de outro, e entender que nossas emoções são o combustível que leva ao comportamento social, mas também a diferentes níveis de inteligência”, diz o Dr. Stanley Greenspan, pesquisador do desenvolvimento infantil da escola de medicina da Universidade George Washington.

A genética também tem participação nisso, mas Greenspan diz que o futuro de um bebê não está escrito em seu DNA.

“A despeito dos testes de QI na família, se eu vejo pessoas nutridas, calorosas e interativas que lêem sinais emocionais bem e interagem bem, em geral eu vejo crianças felizes, competentes e brilhantes”, diz Greenpan.

Além da interação pais-filho, há outras formas de aumentar o poder do cérebro do bebê que estiveram em evidência recentemente.

– A amamentação é boa para o bebê – e muitos especialistas dizem acreditar que também é benéfica para o desenvolvimento do cérebro da criança. Aqueles que foram amamentados por sete ou nove meses saem-se melhor nos testes de QI do que aqueles amamentados por um mês ou menos, segundo um estudo publicado no Journal of the American Medical Association, em maio.

– Ouvir música já foi considerada uma atividade capaz de desenvolver habilidades matemáticas. Uma análise da escola de medicina da Universidade de Harvard de mais de uma dezena de estudos não apóia esta teoria, mas música e dança podem ser excelentes formas de interação.

– Outras pesquisas mostram que as crianças podem aprender sinais básicos de linguagem mesmo antes de falar. Estas crianças parecem crescer um pouco mais inteligentes, mas alguns especialistas dizem pensar que o benefício se deve a uma maior interação pais-filho.

– Lições de leitura de bebês estão crescendo em popularidade. Os produtores de vídeos, livros e cartões de memorização voltados para os bem pequenos dizem que às vezes conseguem fazer com que crianças de dois anos leiam sozinhas livros infantis simples. Alguns especialistas apóiam estes programas, outros se opõem.

“Se você dá uma olhada em livros com suas crianças e as inspira a ser curiosas sobre as fotos e… sobre o que significam as palavras, mas não entra em sistemas de ensino muito estruturados com crianças muito pequenas”, diz Greenspan, “e se você também interage emocionalmente e se diverte fingindo jogar… então você tem o melhor dos mundos”.