Comitê da diversidade étnico racial inicia ciclo de debates 2012

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 26 de março de 2012 as 14:54, por: cdb

(26/03/2012) – EducaçãoComitê da diversidade étnico racial inicia ciclo de debates 2012

Com o tema “Representação sobre o negro e sua história nos livros didáticos”, a Secretaria Municipal de Educação e o Comitê de Diversidade Étnico-Racial irão realizar palestra na quarta-feira (28), às 19h, no 7º andar da Prefeitura de Ipatinga. O encontro faz parte de uma série de debates já promovidos e que tem como proposta discutir a implantação da Lei 11.645/2008, que obriga a inclusão do ensino das histórias e das culturas indígena e afro-brasileira em todas as escolas públicas ou particulares no Brasil.

A apresentação do professor Jezulino Lúcio Mendes Braga trata-se dos resultados de uma pesquisa desenvolvida no ano de 2011 em que foi analisado o discurso sobre o negro e a escravidão em livros didáticos aprovados pelo Plano Nacional do Livro Didático (PNLD). A pesquisa é uma forma de lançar luz sobre os mecanismos criados para a exclusão de uma parcela significativa da população brasileira: os negros. Foram selecionadas duas coleções de livros didáticos aprovadas no PNLD de 2011, nas quais analisaram textos e imagens referentes a história do negro.

“Os discursos sobre o negro e sua história nos livros didáticos por meio de textos e imagens são um importante instrumento de difusão de uma memória sobre a escravidão. Não é raro que estereótipos da violência e aceitação do sistema escravista de forma passiva pelo africano persistam nesses livros. È dada pouca importância, por exemplo, às estratégias encontradas para resistir ao escravismo”, explica o palestrante e professor de história da Unileste, Jezulino Lúcio Mendes Braga. Neste estudo foram selecionadas as coleções: “Projeto Araribá, História – Maria Raquel Apolinário – Editora Moderna” e “Para entender a história – Divalte Garcia Figueira e João Tristan Vargas – Editora Saraiva”, tendo como base o PNLD de 2011.

A pesquisa está inserida em uma das linhas do NEAB-UnilesteMG, que atualmente investiga a desigualdade étnico-racial, a discriminação da mulher negra, violência, ações afirmativas e combate ao racismo, questões relacionadas às religiões brasileiras de matrizes africanas e política nacional de saúde integral da população negra.

As atividades do Comitê de Diversidade Étnico-Racial estão em consonância com a Lei 11.645, que trata de implementar no currículo escolar conteúdos que informam a caracterização e formação da população brasileira, a partir dos dois grupos étnicos, africano e indígena, suas histórias e culturas.

Por: ACS/PMI