Comissão de ética do PT ouve os radicais neste sábado

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 28 de junho de 2003 as 09:13, por: cdb

A comissão de ética do PT inicia neste sábado, na sede nacional do partido, as reuniões que analisam o caso da chamada “ala radical”: João Batista de Araújo (PA), o Babá, e Luciana Genro (RS) e a senadora Heloísa Helena (AL).

Na primeira parte das reuniões – que devem continuar no domingo – serão ouvidos os parlamentares, que poderão explicar suas atitudes. Depois serão ouvidos o senador Eduardo Suplicy (SP) e Dalmo Dallari, que falarão em defesa dos radicais.

A cúpula do PT endureceu a queda-de-braço com os radicais do partido e decidiu – por 12 votos a cinco – enviar o caso do deputado João Fontes (Sergipe) para avaliação do diretório nacional, dispensando o aval da comissão de ética da legenda.

Fontes divulgou, em maio, uma fita de vídeo com imagens do presidente Lula atacando as mudanças na Previdência que hoje defende e criticando o então presidente José Sarney (PMDB-Amapá), atual aliado político.

O estatuto do partido prevê que “no caso de flagrante desrespeito às deliberações e diretrizes” o petista acusado terá de responder ao diretório nacional. Esse foi o caso de Fontes, considerado “réu confesso”, segundo membros da cúpula petista.

Nos demais casos o encaminhamento vai para a comissão de ética. O PT, ao mandar Fontes para o diretório, demonstra que considera o caso dele mais grave e envia um aviso para possíveis novos desrespeitos às determinações da cúpula.

Fontes deve ser ouvido pela executiva em agosto. A apreciação do diretório – que pode culminar com a expulsão do político – vai ocorrer em setembro, mês da votação das reformas da Previdência e Tributária.