Comércio tem expansão de 1% no Natal

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 3 de janeiro de 2006 as 13:05, por: cdb

Levantamento divulgado nesta terça-feira pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomércio-SP) mostrou que as vendas de Natal em 2005 apresentaram um crescimento de apenas 1% em relação ao mesmo período de 2004. De acordo com o estudo, as lojas de bens duráveis registraram avanço de 0,8% nas vendas de Natal. No segmento de bens semiduráveis, a alta foi de 1,3%. O resultado frustrou as expectativas do setor varejista, que esperavam por um reviravolta de fim de ano capaz de esquentar o faturamento de Natal. No entanto, a Fecomercio informou que já esperava por um Natal mais fraco que o registrado em 2004. No ano retrasado, as vendas de Natal cresceram 2,7% frente a igual período de 2003.

Segundo a Fecomércio-SP, este comportamento reflete o elevado grau de endividamento da população, que leva o consumidor a destinar parte do 13º salário para o pagamento de dívidas para somente depois realizar novas compras. De acordo com o levantamento, 45% dos lojistas disseram que formaram estoques de Natal maiores que em 2004. Outros 47% responderam que os estoques estavam iguais ao do mesmo período de 2004. Somente 7% reduziram os estoques de Natal. Para a Fecomercio, essa elevação se deve à expectativa inicial de que as vendas seriam mais aquecidas do que as apuradas em 2004.

O estudo também mostrou que a forma de pagamento mais utilizada continuou sendo o cartão de crédito, presente em 30% das transações de Natal. Das compras, 22% foram parceladas no cartão. Os carnês responderam por 17% dos pagamentos das compras de Natal. Já a opção à vista respondeu por 16% das transações e cheques pré-datados por 14%.

Menos publicidade

O levantamento da Fecomercio revelou ainda que o número de comerciantes que resolveu lançar mão de promoções para atrair os consumidores diminuiu em 2005. Cerca de 53% dos entrevistados afirmaram que realizaram promoções. No mesmo período de 2004, 74% utilizaram a ferramenta para estimular as vendas. A concessão de desconto foi a modalidade preferida por 32% dos empresários. As ofertas especiais, entre elas “relâmpago” e do “dia”, corresponderam a 27%, e as vendas parceladas sem juros foram utilizadas por 23% dos empresários. O sorteio e ou distribuição de brindes corresponderam a 18% dos empresários.

A sondagem da Fecomercio foi realizada no dia 26 de dezembro em 120 pontos de venda da cidade de São Paulo e apurou que os comerciantes também investiram menos em ações publicitárias no Natal de 2005. Cerca de 46% informaram realizar algum tipo de publicidade. Em igual período de 2004, 58% utilizaram a estratégia.