Comércio quer redução do spread bancário

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 19 de novembro de 2003 as 20:53, por: cdb

Na avaliação do presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Guilherme Afif Domingos, a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de reduzir a taxa básica de juros da economia em 1,5% ponto porcentual é importante como sinalização da recuperação. No entanto, diz Afif, o mais importante para o setor privado é o comportamento das taxas de juros que são efetivamente pagas pelas empresas e os consumidores.

– Enquanto não for reduzido o spread, que determina o custo efetivo do dinheiro para o setor real da economia, não haverá a retomada do crescimento – afirma o presidente da entidade.

Domingos diz que não existe sinal de recuperação de renda em curto prazo e que somente o crédito pode alavancar o crescimento. Ele sugere ainda que para ocorrer a queda dos juros basta um conjunto de medidas como a redução dos compulsórios e dos tributos e uma legislação que permita a rápida execução das garantias e a criação do cadastro positivo.

Ele afirma que o cadastro positivo não apenas permitiria a redução da inadimplência e, em conseqüência a dos juros, por oferecer informações mais completas para a concessão do crédito, como possibilitaria premiar o bom pagador com taxas menores. Para Domingos, o crédito é a grande alavanca do desenvolvimento.

– Acredito que o conjunto dessas medidas poderá derrubar a taxa de juro interna e promover efetivamente o espetáculo do crescimento – diz.