Comerciante é assassinada por ex-empregado em São Paulo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 17 de setembro de 2003 as 04:21, por: cdb

A comerciante Mirtiz Inês de Castro foi assaltada, seqüestrada e morta por um adolescente ex-funcionário na Grande São Paulo. Ela chegou a dar carona para os assassinos. A mulher foi amarrada numa árvore e esfaqueada até a morte.

Mirtiz Inês de Castro, de 36 anos, e o primo Elton de Castro, de 22 anos, estavam no carro Santana Quantum azul fazendo cobranças de clientes no Jardim Santa Tereza, no município de Embu, na última terça-feira. Em um determinado momento, dois adolescentes de 17 anos (M.C.S, e Thiago) avistaram o carro e pediram uma carona.
 
Mirtiz conhecia um dos adolescentes (MCS). O garoto havia trabalhado para ela. Por este motivo, segundo o delegado titular de Itapecirica da Serra, Gilberto Barbosa da Silva, ela deu a carona sem nenhuma desconfiança. Dentro do carro, já depois de fazer as cobranças, os adolescentes começaram a ação, como explica o delegado.

– A dupla de menores anunciou o assalto e levou a comerciante e o primo para um cativeiro, no Jardim São Marcos, também em Embu. O primo foi amarrado e amordaçado e a comerciante foi levada para realizar saques em caixas eletrônicos. Com medo de serem depois reconhecidos pela comerciante após o crime, os adolescentes voltaram com ela para o Jardim São Marcos, mas em vez de a levarem para o cativeiro, a amarraram numa árvore e a mataram com requintes de crueldade – disse o delegado.
 
– Após a morte, os adolescentes fugiram com o primo. O que me surpreendeu foi a frieza dos adolescentes ao confessarem o crime e apontarem onde estava o corpo – disse o delegado.O cativeiro era na Estrada da Macumba, no Jardim São Marcos, em Embu. A mulher foi morta nas proximidades – continuou.
  
– Com o Santana Quantum da comerciante, que trabalhava no ramo de distribuição de cosméticos e revistas, o adolescentes foram até a região central do município de Itapecirica da Serra, também na Grande São Paulo. Na rua Quinze de Novembro, eles viram um carro da 3ª Companhia do 25º Batalhão de Polícia Militar, se assustaram e bateram num carro Gol branco. Foi neste momento que os policiais conseguiram prender a dupla – finalizou o delegado.