Combates em Basra matam 77 civis

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 23 de março de 2003 as 08:19, por: cdb

Pelo menos 77 pessoas morreram no último sábado (22) na cidade de Basra, sul do Iraque, depois do bombardeio da cidade feito pelos aviões da coalizão anglo-americana, disse neste domingo, o ministro iraquiano da Informação, Mohamed Said Al Sahaf.

Em entrevista coletiva, o ministro disse que esses bombardeios deixaram 366 feridos. Segundo ele, todas as vítimas são civis.

A cidade natal de Saddam Hussein e de seus principais colaboradores, Tikrit, também foi bombardeada na noite do último sábado (22) e quatro pessoas morreram, acrescentou o ministro.

Os diferentes ataques deixaram outros 106 feridos em Bagdá, no bombardeio de uma zona residencial, e mais 23 em Diali, sudeste do país.

Já o general Hazem Arrawi, porta-voz oficial das Forças Armadas, disse, em sua primeira aparição pública desde o início da guerra, que as forças iraquianas derrubaram nos últimos três dias cinco aviões atacantes e dois helicópteros.

Os aviões foram todos derrubados em Bagdá, à exceção de um, atingido em Basra, enquanto que os helicópteros foram abatidos em Mosul (norte do país) e Muzana (sul), garantiu.

Sobre possíveis prisioneiros, Arrawi despistou: “isso será anunciado em seu devido momento”.

O porta-voz, que acusou às forças atacantes de “comportamento histérico” por atacar “alvos civis”, afirmou que as forças iraquianas derrotaram seus adversários em Najaf (centro do país).

O ministro Al Sahaf comentou que, com o lançamento da invasão sobre Iraque por parte das forças anglo-americanas, “nós os introduzimos num vespeiro do qual não poderão sair”.

“As forças deste ataque desesperado que avança com colunas para Nasiriya e Suq as Shuiuj, Samawa e Ur se introduziram num vespeiro. Não sairão vivos de lá”, ameaçou Al Sahaf.

Ambos os porta-vozes afirmaram também que Basra continua em mãos iraquianas e que Um Qasr, único porto iraquiano no Golfo Pérsico, segue em sua maioria sob controle iraquiano. Segundo eles, as tropas anglo-americanas têm apenas uma pequena parte do porto e da cidade.

Um Qasr foi palco de intenso fogo cruzado na manhã deste domingo, como mostraram várias redes de TV.