Comandante Talebã convoca mundo árabe a atacar os EUA

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 11 de outubro de 2001 as 13:28, por: cdb

O líder do Talebã, mulá Mohammed Omar, que não dá entrevistas e nem aceita ser fotografado, convocou muçulmanos do mundo todo a se rebelar contra os Estados Unidos, em um pronunciamento gravado.

A gravação foi obtida com exclusividade pelo Serviço Mundial da BBC.

No pronunciamento, o mulá Omar disse que os Estados Unidos são poderosos, mas que os muçulmanos têm Alá ao seu lado.

“Muçulmanos que acreditam verdadeiramente em sua religião devem se erguer de forma decisiva contra este poder arrogante”, disse Omar.

O mulá Omar disse que todos os muçulmanos devem fazer demonstrações contra os Estados Unidos.

“Eles devem fazer tudo o que for necessário para ajudar o Emirado Islâmico do Afeganistão, ao invés de obedecer os Estados Unidos e permitir que os muçulmanos sejam chamados de terroristas”, disse.

A jornalista do Serviço Mundial da BBC Najiba Kassri, que obteve a gravação, disse que o mulá Omar deve ter decidido fazer este pronunciamento para tentar erguer o moral de suas tropas e provar que está vivo.

Havia informações de que o líder do Talebã poderia estar morto, pois um foguete teria atingido a sua casa.

Segundo a jornalista, tem sido muito difícil conseguir entrevistas com integrantes do Talebã nos últimos sete meses, desde que as estátuas gigantescas de Buda no Afeganistão foram destruídas.

Ataques deixam vítimas entre população civil

Aviões americanos atacaram o aeroporto de Cabul nesta quinta-feira. Esta foi a primeira vez que a capital afegã foi atacada durante o dia, desde que os bombardeios ao Afeganistão começaram, no último domingo.

Em Londres, o chefe do Estado Maior das Forças Armadas britânicas, almirante Michael Boyce, disse que as operações aéreas podem continuar durante todo o inverno, que termina em fevereiro, se prolongando até o próximo verão no hemisfério norte, que tem início em julho.

Mais cedo, o Talebã havia acusado os Estados Unidos de atacarem alvos civis na quarta-feira.

O embaixador do Talebã no Paquistão, Abdul Salam Zaeef, disse que cerca de 100 pessoas morreram numa cidade ao leste de Jalalabad e mais 15 foram mortos numa mesquita, também no leste do país. Mas ainda não há confirmação sobre o número de vítimas.

Kandahar

Zaeef, que já havia afirmado que as defesas aéreas do Talebã não tinham sido destruídas, disse nesta quinta-feira a jornalistas que a verdadeira guerra vai começar, quando as tropas aliadas desembarcarem no país. Ele disse ainda que o maior inimigo do Talebã são os Estados Unidos.

Zaeef também repetiu que o principal alvo dos ataques, o dissidente saudita Osama Bin Laden, não será autorizado a lançar ataques contra os aliados de dentro do Afeganistão.

A Aliança do Norte, oposição ao Talebã, divulgou que tomou a cidade de Chaghcharan, no centro do Afeganistão, com a ajuda de forças locais que colaboravam com o Talebã no passado.

Também não há confirmação sobre os supostos avanços da Aliança do Norte.