Comad tem acesso pioneiro ao Projeto Viva Paraná

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 28 de março de 2012 as 08:45, por: cdb

O Projeto Viva Paraná – que alia prática de esportes, educação, cidadania e cultura na prevenção ao uso e abuso das drogas – foi apresentado nesta manhã (28) aos integrantes do Comad (Conselho Municipal de Políticas Públicas sobre Drogas) pelo coordenador estadual Antidrogas de Curitiba, Jorge Miguel Pilotto Neto. A proposta está em fase de finalização e foi detalhada em primeira mão em Cascavel.

“Escolhemos Cascavel para apresentar a ideia pela primeira vez porque o Município tem o Conselho [Comad] mais estruturado do Paraná. A proposta será apresentada ao governador Beto Richa em abril. O foco está na prevenção, ou seja, na criação de oportunidades que tirem os jovens das ruas, na qual eles são alvo fácil do tráfico”, destacou Pilotto.

De acordo com Pilotto, assim que for lançado, o projeto poderá ser requisitado pelos municípios. O custo estimado é de R$ 20 mil a R$ 30 mil anuais para a manutenção de material esportivo, para atender até 180 jovens ao dia.

Ideia que deverá ser abraçada por Cascavel. De acordo com o presidente do Comad e diretor da Secretaria Antidrogas, Eugênio Rozetti Filho, o Município deverá ser pioneiro também na implantação do projeto no interior do Estado. “Havíamos requisitado que fosse implantado aqui o Bola Cheia [programa realizado pelo Município de Curitiba], mas ele é municipal, então solicitaremos o Viva Paraná, que é inspirado no Bola Cheia e no Papo Legal. É um programa muito interessante, que demonstra bastante adesão dos jovens”.

Ainda segundo o presidente do Comad, aém do Viva Paraná, Cascavel deverá formalizar convênio com a Coordenadoria do Estado, o qual irá possibilitar o recebimento de recursos federais e bens materiais oriundos do tráfico de drogas. “Assim poderemos receber diretamente na conta do Município recursos para serem utilizados na luta contra o tráfico e a prevenção ao uso de drogas. Já conversamos, na presença do dr. Kennedy [Kennedy Machado, secretário de Assuntos Jurídicos] com o juiz da 2ª Vara Criminal de Cascavel e ele sinalizou com essa possibilidade prevista em lei”, finalizou Eugênio.