Com os bancos funcionando o Uruguai voltou à normalidade

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 7 de agosto de 2002 as 07:08, por: cdb

No segundo dia de reabertura dos bancos no Uruguai, depois do feriado de quatro dias na semana passada, as filas são quase inexistentes. Para o Banco Central, a situação está se normalizando mais rapidamente do que se esperava. A falta de liquidez em pesos continua contribuindo para a queda do dólar, que registra 22 pesos para compra e 26 para a venda. Ontem, a cotação foi de 22 para compra e 28 para venda.

“A diferença entre a crise no Uruguai e na Argentina está na intensidade em que foi aplicado o corralito e, principalmente, na atuação da administração dos dois países contra a crise”, disse o economista argentino Jorge Ávila, da Universidade e Consultoria Cema. “No Uruguai houve uma cirurgia da crise; na Argentina uma carnificina”, disse o economista.

Dos 22 bancos existentes no Uruguai, país de 3,3 milhões de habitantes, 16 são estrangeiros. Com a lei de fortalecimento aprovada por exigência do FMI no Congresso no fim de semana, quatro bancos foram suspensos e estão com as portas fechadas. Além disso, os bancos estatais República e Hipotecário estão reprogramando a devolução das aplicações de prazo fixo por um período de três anos. Estes correntistas terão a opção de receber a devolução em dólares com correção monetária, ou em títulos do governo.