Coluna de blindados iraquianos arma batalha gigantesca contra EUA

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 26 de março de 2003 as 17:51, por: cdb

Uma coluna com cerca de 1.000 veículos militares do Iraque está avançando em direção a Najaf, no sul do país, em uma aparente rota de colisão com uma formação de tanques norte-americanos.

Horas antes, a mesma região foi palco de combates pesados pelo controle de uma ponte estratégica sobre o rio Eufrates. As forças de coalizão alegaram ter matado pelo menos 300 soldados iraquianos.

Segundo autoridades militares norte-americanas, a coluna iraquiana seria formada por membros da Guarda Republicana – a principal tropa de elite de Saddam Hussein – e vem avançando de forma rápida, rumo a posições da Terceira Brigada de Cavalaria Blindada dos Estados Unidos.

As unidades da Guarda Republicana partiram da região de Bagdad e deslocam-se a uma média de 42 quilômetros por hora – uma velocidade considerável, levando-se em conta que se trata de uma grande mobilização militar.

Os iraquianos desafiam, ainda, as tempestades de areia que persistem no centro-sul do Iraque e freiam, há dois dias, os avanços das tropas norte-americanas e britânicas.

Chefes militares dos Estados Unidos solicitaram o reforço de ataques aéreos, como forma de tentar conter a marcha iraquiana.

Entretanto, as condições meteorológicas impediram a cobertura aérea, levando as formações militares norte-americanas a prever combates com as forças de Saddam Hussein.

A tempestade de areia inviabilizou o vôo de helicópteros Apache. Entretanto, a coalizão poderia lançar mão de missões dos bombardeiros B-1, segundo o correspondente da CNN Walter Rodgers, que acompanha a Terceira Brigada de Cavalaria Blindada.

Autoridades norte-americanas acreditam que a Guarda Republicana tentará recuperar o controle da ponte sobre o Eufrates, o rio que corta o Iraque transversalmente, em uma parte sudoeste e outra nordeste, que inclui Bagdad.

Quase ao mesmo tempo, uma coluna com entre 70 e 120 veículos blindados iraquianos deixou a cidade de Basra, no sul do país, e tomou a direção sudeste.

Os serviços de inteligência da coalizão disseram que a manobra parece ter caráter ofensivo e que jatos norte-americanos e britânicos estão preparados para interceptar os iraquianos.