Colômbia considera ‘conveniente’ uma reunião com a Venezuela

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 15 de outubro de 2003 as 02:35, por: cdb

A Colômbia declarou na última terça-feira que considera ‘conveniente’ a realização de uma reunião urgente com a Venezuela para falar sobre a segurança na extensa fronteira entre os países, freqüentemente conturbada por guerrilheiros e paramilitares colombianos.

A chanceler colombiana Carolina Barco, que está em uma visita oficial a Caracas, disse que seu país “se preocupa muitíssimo com a situação da fronteira” de 2.219 km.
 
– Acreditamos que com mais informações, melhor coordenação entre nossas distintas entidades, podemos exercer um melhor controle do lado colombiano – disse Barco, após se reunir com seu colega venezuelano Roy Chaderton, com quem examinou a possibilidade de realizar uma reunião entre os ministros da Defesa dos dois países.

Os presidentes da Venezuela e da Colômbia se comprometeram em abril, durante um encontro bilateral, a se esforçarem para impedir que guerrilheiros, paramilitares e narcotraficantes atravessem a fronteira comum. Bogotá tem acusado Caracas de dar refúgio para guerrilheiros esquerdistas, enquanto o governo da Venezuela acusa o exército colombiano de colaborar com os paramilitares.

Barco insistiu que o tema da fronteira é ‘um problema que a Colômbia busca solucionar. Sabemos que muitos dos problemas apresentados vêm da Colômbia’.

– O que a Colômbia está fazendo com todos os seus países vizinhos, como o Equador, Peru, Brasil e Panamá é trabalhar muito proximamente, buscando fortalecer e fechar, como disse o presidente, a fronteira a estes elementos tão negativos – afirmou.

A chanceler, que também se reuniu com o vice-presidente José Vicente Rangel, e que se encontrará na quarta-feira com o corpo diplomático em Caracas, disse que junto com Chaderton buscará o momento oportuno para que os presidentes Alvaro Uribe e Hugo Chávez voltem a se reunir.