Colin Powell afirma que não há evidências de massacre em Jenin

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 24 de abril de 2002 as 17:55, por: cdb

O secretário de Estado norte-americano, Colin Powell, disse não ter visto evidências de que o Exército israelense tenha promovido um massacre de palestinos na cidade de Jenin, na Cisjordânia. Powell disse que vidas inocentes podem ter sido perdidas no incidente, mas que um alto funcionário de seu departamento que visitou a cidade afirmou não ter visto nenhum sinal de valas comuns para enterrar corpos ou de um grande número de cadáveres.

O secretário de Estado também afirmou que é do interesse de Israel que uma missão de observadores da ONU visite Jenin. Israel bloqueou o envio dos observadores, decidido pelo Conselho de Segurança da ONU na semana passada, exigindo que especialistas em assuntos militares sejam incluídos na equipe.

Crítica egípcia
O presidente egípcio, Hosni Mubarak, acusou o governo de Israel de usar terrorismo de Estado para esmagar os palestinos. Num discurso transmitido pela TV, Mubarak disse que os israelenses estão num processo de destruir provas de violações contra os direitos humanos de civis palestinos, cometidas sob o pretexto de combater o terrorismo. O presidente egípcio também criticou o que chamou de “certos poderes internacionais” – o que foi interpretado como uma referência aos Estados Unidos – por falhar ao não assumir suas responsabilidades.

Antes, a ONU havia concordado em adiar o envio de sua missão de observadores a Jenin. Também nesta quarta-feira, o chefe de política exterior da União Européia, Javier Solana, se reuniu com o presidente da Autoridade Nacional Palestina, Yasser Arafat, em Ramallah. Em seguida, Solana partiu para Jerusalém.