Código de Barras da Vida

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 1 de março de 2012 as 13:46, por: cdb

DNABarcoding faz a identificação das espécies por
meio de um marcador genético/Foto: Meryabad

A intenção desse código de barras não é facilitar o comércio de animaise nem vender pessoas no mercado. Na verdade, o Código de Barras da Vida ou doDNA (DNA Barcoding, em inglês)é um marcador genético que serve para catalogar espécies e avaliar abiodiversidade existente no planeta.

A ideia, apresentada o folheto doProjeto Internacional do Código de Barras da Vida (iBOL, na sigla em inglês), éambiciosa: criar um mundo em que você possa saber o nome de qualquer animal,qualquer planta, qualquer fungo, qualquer organismo – no local, num instante,em qualquer lugar do nosso planeta.

O método utiliza um trecho do DNA de cerca de 650 nucleotídeos comomarcador para caracterizar espécies. A sequência é considerada extremamentecurta em relação à totalidade do genoma, que nos humanos, por exemplo, possuicerca de três bilhões de pares de bases.

A identificação é possibilitada com essa sequência curta porque a ordemdos nucleotídeos nesse trecho de DNA é semelhante entre os indivíduos, masdivergente em relação às diferentes espécies.

O método, que tende a ser rápido e barato, identifica uma espécie apartir de uma pequena amostra de tecido, possibilitando aplicações que vãodesde o combate à biopirataria até o controle de pragas e a investigaçãoforense.

Biodiversidadeainda é pouco conhecida/Foto: Montuno

Organização

O DNA Barcoding foi proposto primeiramente pelo iBOL(Projeto Internacional do Código de Barras da Vida). No entanto,há outras iniciativas que utilizam o método conhecidas. Tal qual o Consórciopara o Código de Barras da Vida (CBOL – Consortium for the Barcode of Life) e aIniciativa em Peixes do Código de Barras da Vida (FISH-BOL – Fish Barcode ofLife Initiative), de abrangência internacional, e a brasileira Rede Brasileirade Identificação Molecular da Biodiversidade (BrBol).

A intenção é que, além da identificação rápida, o DNA barcodingcatalogue as espécies em um imensobanco de dados, tal qual o Enciclopédia da Vida (EOL- Encyclopedia of Life), projeto do qual o Consórcio para o Código deBarras da Vida (CBOL) é colaborador.

Uma das controvérsias do método são algumas falhas decorrentes dosequenciamento curto, uma vez algumas espécies abrigam grande diversidade emesmo assim funcionam como uma unidade evolutiva. O contrário também ocorre:duas espécies podem seguir rumos evolutivos independentes mesmo com materiaisgenéticos muito semelhantes – porque talvez não tenha passado ainda temposuficiente para que as diferenças se acumulassem.

Por isso, alguns pesquisadores acreditam que a iniciativa pode ser boacomo ferramenta adicional ao entendimento da diversidade biológica, e não comosubstituto das formas tradicionais de pesquisa em taxonomia e sistemática.