Coalizão alemã de centro-direita perde apoio decisivo para permanência de Merkel

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 27 de março de 2011 as 14:46, por: cdb
Angela Merkel
Angela Merkel dá adeus ao apoio de um dos Estados mais ricos da Alemanha

A coalizão de centro-direita, liderada pela União Democrata-Cristã (CDU) da chanceler Angela Merkel com os liberais (FDP), perdeu o decisivo Estado federado de Baden-Württemberg, que será governado, previsivelmente, por uma nova aliança de verdes e social-democratas (SPD). Segundo os resultados das pesquisas de boca de urna da rede de televisão pública ARD, no fechamento dos colégios eleitorais, a CDU obteve 38% de votos e o FDP 5%, enquanto os verdes alcançaram 25% e o SPD 23,5%.

No estado federado da Renânia-Palatinado a coalizão do Governo será a mesma, já que as pesquisas concedem ao SPD 35,5% e aos verdes 17%, enquanto a CDU obtém 34% e o FDP 4%. Os resultados das pesquisas, que normalmente diferem em décimos do resultado final, prevêm um desastre para Merkel e a CDU, já que cedem pela primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial o Governo em Baden-Württemberg, que com a Baviera é um dos dois Estados mais ricos da Alemanha.

A catástrofe para a coalizão de Merkel em Berlim se completa com a saída dos liberais do Parlamento regional no Estado de Ranania-Palatinado e 5 % de votos conseguidos em Baden-Württemberg, onde inclusive poderiam perder também a representação parlamentar se perderem só um décimo desse resultado que anunciam as pesquisas. Os grandes vencedores são os verdes, que pela primeira vez na história da Alemanha serão os principais membros de uma coalizão e poderão nomear o primeiro-ministro de Baden-Württemberg na coalizão com o SPD.

Winfried Kretschmann, um veterano ecopacifista de 62 anos de idade, será previsivelmente esse novo primeiro-ministro, após conseguir disparar a popularidade de seu partido em polêmicas locais, como a nova estação de ferrovia de Stuttgart, e por ter aproveitado a discussão sobre o futuro nuclear da Alemanha por causa das consequências do terremoto no Japão. Na Renânia-Palatinado, onde o SPD perde a maioria absoluta, os verdes serão o representante necessário da também anunciada coalizão vermelho-verde que continuará liderando o atual primeiro-ministro social-democrata Kurt Beck.