CNI: produtividade cresce após três anos de estagnação

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 25 de janeiro de 2005 as 12:33, por: cdb

A produtividade na indústria brasileira cresceu em 2004 após três anos de estagnação, mostrou uma pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) nesta terça-feira. A produtividade – medida pela razão entre a produção e o pessoal ocupado – subiu 5,3% entre janeiro e novembro de 2004 em relação a igual período de 2003, puxada pelo crescimento da economia como um todo.

“Esse será o primeiro ano desta década a apresentar um crescimento significativo da produtividade. Entre 2000 e 2003, a produtividade manteve-se praticamente inalterada”, informou a CNI em comunicado.

Quando a economia começa a recuperar-se, como ocorreu em 2004, o emprego costuma não acompanhar essa melhora imediatamente e com isso a produtividade aumenta. A pesquisa apontou ainda que na primeira metade dos anos de 1990 o Brasil era o quarto entre 26 países em termos de produtividade. Na segunda metade daquela década, o crescimento médio anual da produtividade brasileira caiu de 7,9 para 5,9%.

“Na década atual, a produtividade da indústria manteve-se estagnada, fazendo o país cair para a 23º posição no ranking (de 26 países)”, acrescentou a entidade.

A CNI acrescentou que o impacto dos três últimos anos de estagnação da produtividade sobre a competitividade brasileira só não foram sentidos devido à desvalorização do real em 2002. “Com a apreciação do real em 2004, a perda de competividade se fará sentir (no setor exportador), ressaltando a importância da retomada do crescimento da produtividade.”