Clacso terá assembléia no Rio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 4 de novembro de 2003 as 10:46, por: cdb

A próxima Assembléia Geral da Clacso – o Conselho Latino Americano de Ciências Sociais – se realizará no Rio de Janeiro, em 2006. A decisão foi tomada na assembléia recém-concluída em Havana, em votação em que o Rio de Janeiro obteve 51 votos, contra 29 dados a Caracas. Assim, o Laboratório de Políticas Públicas da Uerj será o responsável pela sua organização.

No fechamento do seminário convocado paralelamente, em que falaram, entre outros, Francisco de Oliveira, Perry Anderson e Noam Chomsky, interveio Fidel Castro, como máxima autoridade do país anfitrião. No seu discurso, que durou cinco horas, no Palácio das Convenções, o líder cubano declarou que o Brasil e a Argentina possuem a maior arma de destruição na atualidade, já que com sua dívida com o FMI, que ascende a 500 bilhões de dólares, estão em condições de destruir essa instituição.

O encontro em Cuba reuniu a mais de 300 cientistas sociais do continente, representantes de centros de pesquisa em ciências sociais, para discutir temas vinculados ao estado do pensamento social na América Latina, mediante grupos de trabalho, mesas-redondas e grandes conferências. Fidel Castro assistiu todos os dias ao evento, intervindo duas ou três vezes de forma mais limitada e por meio do discurso final. Nele o tema central de Fidel Castro foi uma crítica da identificação da democracia com liberalismo, especialmente voltada para os países do centro do capitalismo, que pretendem monopolizar essas categorias.

Na Assembléia Geral da Clacso foi eleito novo Comitê Diretivo, do qual fará parte o professor Gaudêncio Frigotto como representante do Brasil. O professor argentino Atílio Borón foi reconduzido ao cargo de secretário executivo, cuja sucessão será decidida no Rio de Janeiro em 2006.

Emir Sader, professor da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), é coordenador do Laboratório de Políticas Públicas da Uerj e autor, entre outros, de “A vingança da História” (Boitempo Editorial) e “Século XX – Uma biografia não autorizada” (Editora Fundação Perseu Abramo).