Ciro: ‘Desenvolvimento começa com parceria de governo e empresas’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 30 de setembro de 2003 as 15:53, por: cdb

O projeto Parceria Público-Privada em elaboração pelo Ministério do Planejamento contribuirá para o reinício do processo de desenvolvimento regional, sacrificado por conta do rigor fiscal que o Brasil foi obrigado a adotar para financiar a sua dívida. A afirmação é o ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, para quem o projeto “é uma tentativa de subvertermos uma interdição fiscal do país em função do legado macabro que recebemos, com a dívida brasileira explodindo de uma forma completamente irresponsável”. Segundo o ministro, “isso nos obriga a economizar montanhas de dinheiro para pagar os juros dessa dívida e essa economia acaba prejudicando setores sensíveis da vida nacional”.

Ao chegar para o seminário Desenvolvimento Econômico e Social, que se realiza no Hotel San Marco, Ciro Gomes afirmou que a parceria com empresas privadas na execução de projetos de infra-estrutura precisará de um bom arcabouço jurídico e de um marco regulatório moderno e confiável. Segundo o ministro, a Parceria Público-Privada evitará que setores como energia, transporte e infra-estrutura hídrica fiquem parados por falta de dinheiro.

O ministro também defendeu a formulação de políticas para o desenvolvimento regional com base no planejamento estratégico em nível nacional, partindo do princípio da transversalidade. “O endereço da miséria está claramente visível nos bairros pobres das grandes cidades e em algumas mesorregiões do Nordeste, da Amazônia e do Centro-Oeste. Mas também há manchas de grandes problemas em áreas como a metade sul do Rio Grande do Sul, o fundo da Baía de Guanabara (RJ), o Vale do Ribeira (SP), o norte de Minas Gerais e o norte do Espírito Santo. Isso orienta toda uma nova concepção, ou seja, a questão não pode ser mais setorial, precisa ter uma dimensão nacional”, comentou Ciro Gomes.