Cinco candidatos avulsos concorrem à cadeira de Jorge Amado

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 6 de setembro de 2001 as 21:15, por: cdb

A candidatura do jornalista Joel Silveira à disputada cadeira de Jorge Amado na Academia Brasileira de Letras (ABL) abriu caminho para outros escritores sonharem com a vaga que pode ser ocupada pela viúva do autor baiano, Zélia Gattai.

Antes que Zélia decidisse pela disputa, o nordestino Jeff Thomas, autor de quatro livros, entre eles “Emergente não é gente”, não perdeu tempo e formalizou sua candidatura um dia após a homenagem póstuma dos acadêmicos a Jorge Amado. Thomas circula entre os imortais e diz ser amigo do príncipe Charles.

Depois de relutar, Zélia cedeu à pressão de um grupo de acadêmicos e aceitou concorrer à cobiçada cadeira, cujo patrono é Machado de Assis. Então foi a vez do consagrado jornalista Joel Silveira acreditar no seu talento, e oficializou seu nome sem poupar críticas aos livros de Zélia.

Entraram também na briga a poetiza Yeda Octaviano, que tem dois livros no currículo e tenta pela segunda vez uma cadeira na casa de Machado, e Marcelo Henriques. A assessoria da ABL não informou dados sobre o concorrente, mas afirmou que Henriques também participa de solenidades abertas da Academia.

As inscrições estão abertas até o fim de outubro. Pode concorrer à vaga todo brasileiro nato, com pelo menos um livro publicado. As eleições serão no início de dezembro.