Cicinho credita má fase do Real ao azar

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 26 de dezembro de 2005 as 12:25, por: cdb

Depois de o Real Madrid confirmar sua contratação, o lateral-direito Cicinho já fala como jogador do clube e, ainda de longe – ele ainda está no Brasil e se apresenta apenas no dia 29 , acredita que a má fase do time galático é passageira e vem sendo causada por azar.

– Muitas equipes grandes como o Real passam pelo mesmo problema. Conseguem criar muitas chances de gol, não marcam e acabam tomando. Temos que entender isso como azar e estou seguro que é uma coisa passageira. A força que o Real tem está intacta e espero contribuir para aumentá-la – disse o ex-são-paulino, em entrevista ao diário espanhol As.

Surpreendido pela saída de Vanderlei Luxemburgo do time espanhol, Cicinho reconhece saber pouco do novo técnico, López Caro.

– A saída do Vanderlei surpreendeu porque a cultura do treinadores na Europa é diferente. Não é como no Brasil, que quando se perde dois ou três jogos já o demitem. Não é o habitual, mas infelizmente aconteceu. Agora temos que nos adaptar ao novo sistema. Mas como estava no Mundial de Clubes com o São Paulo, pouco acompanhei as últimas partida – afirmou.

Na mais recente crise do Real, em que o marketing do clube tem sido colocado à frente do próprio futebol, o lateral brasileiro não vê problemas e agradece a chance por atuar no time espanhol.

– O Real é grande por seus títulos, não pelo marketing. E isso não vai mudar. São os jogadores que são os vencedores e atraem o público. Graças a Deus vou ter a oportunidade de jogar no melhor clube do mundo- conta Cicinho.

Na disputa pela lateral direita, o atual titular Salgado já disse que não vai largar facilmente a posição. Mas o brasileiro crê em uma briga saudável.

– Vou com a atenção de buscar meu espaço, como ocorre na Seleção Brasileira e como ocorreu no São Paulo. Sei que Salgado e Diogo são grandes jogadores. Eu os respeito e vou chegar para contribuir no que puder. E quando me oferecerem uma oportunidade, vou me doar ao máximo-  finaliza o lateral.