CIA faz avaliação sóbria de perspectivas no Iraque

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 13 de novembro de 2003 as 11:04, por: cdb

Funcionários da Agência Central de Inteligência americana (CIA) advertiram que a resistência às forças aliadas no Iraque poderá se fortalecer nos próximos meses, na medida em que os iraquianos se mostrarem cada vez mais desiludidos com a ocupação estrangeira.

A advertência está contida em um informe altamente classificado e compilado pela estação da Agência Central de Inteligência (CIA), no Iraque. O documento foi remetido a Washington, para consultas esta semana sobre a estratégia a ser adotadas, antes da chegada do administrador civil americano no país árabe, Paul Bremer, disseram as fontes, pedindo para não ser identificadas.

Bremer discutiu o assunto na véspera com o presidente George W. Bush e também teve encontros com o secretário de Estado, Colin Powell, o secretário de Defesa, Donald Rumsfeld, e a conselheira de Segurança Nacional, Condoleezza Rice.

Os funcionários disseram que o informe adverte que a situação no Iraque provavelmente vai piorar muito, com o crescente número de iraquianos empolgados com as táticas vitoriosas de guerrilha, devendo naturalmente apoiar a resistência. O documento também destaca que os esforços americanos para converter o Iraque em uma democracia tendem a fracassar, a menos que se consiga uma mudança rapidamente. E lembra que o Conselho de Governo iraquiano instalado pelos Estados Unidos, certamente não conseguirá governar pela falta de apoio popular.

Para finalizar, o informe manifesta dúvidas sobre a capacidade dos militares americanos de fechar as fronteiras iraquianas com os países vizinhos, com o objetivo de evitar a entrada de radicais islâmicos dispostos a ajudar a resistência iraquiana.