Chuva provoca desabamento de casa em Ubatuba

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 18 de janeiro de 2005 as 18:22, por: cdb

Uma casa desmoronou na bairro da Casanga, em Ubatuba, no litoral norte e o número de desabrigados no município chega a 112 pessoas. A casa era de alvenaria e havia sido construída em um morro, que por estar encharcado pela água da chuva, desabou.

– Por sorte ninguém ficou ferido. Os moradores tinham saído um pouco antes –  contou o responsável pela Defesa Civil, Pedro Marciano. No município, desde domingo, cinco deslizamentos de morro foram registrados. Pelo menos outras 80 pessoas continuam em casas de parentes.

Segundo a Defesa Civil do município o tempo fechado e as condições de novas pancadas de chuva impedem que as famílias retornem para suas casas. De acordo com os meteorologistas do Centro de Previsão do Tempo do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em Cachoeira Paulista, a chuva vai continuar amanhã (19) durante todo o dia.

O monitoramento das encostas feito pela Defesa Civil teve o reforço dos técnicos do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) do Estado de São Paulo. O município até agora registrou 70% de chuva a mais que o registrado no mês de janeiro do ano passado. Ubatuba tem 27 áreas de risco que estão sendo monitoradas diariamente.

Os moradores que estão desabrigados não pensam em voltar para casa até que a situação se normalize.

– A gente tem medo de que a chuva venha de novo e nos pegue de surpresa. No domingo perdi tudo, mas salvei a vida das minhas crianças – disse a dona de casa Juliana Dias Camargo.

O Fundo de Solidariedade do município divulgou uma nota à imprensa, pedindo a ajuda da população para as 30 crianças que estão no Ginásio de Esportes. As doações devem ser de fraldas, sapatos, roupas e alimentos.

Família 

O que era para ser um fim de semana comum, acampando na praia, se transformou em pesadelo para uma família de Taubaté, no Vale do Paraíba. O comerciante José Fernandes Diniz teve medo de morrer. Ele, a mulher, um filho adolescente e um amigo ficaram 21 horas ilhados na praia de Cambucá, em Ubatuba. E só foram salvos porque alguém notou que o carro que a família estava foi abandonado e decidiu avisar o Corpo de Bombeiros.

– Se não fosse o carro, ninguém saberia que estávamos em apuro.

A aventura começou na manhã de domingo.

– Meu filho ligou no Inpe para saber a previsão do tempo e era de sol. Foi quando decidimos passar o domingo pescando.

Chegaram às 14 horas e montaram a barraca próximo ao rio Quiririm. A pescaria começou em seguida e a chuva chegou às 17h30.

– Pensamos que fosse chuva de verão, passageira, mas o rio subiu rapidamente e não tínhamos para onde fugir.

A mulher do comerciante, Valéria Ramos Diniz, contou que a água chegou à cintura e eles ficaram segurando a barraca para que a água não levasse o único lugar que eles tinham para se segurar. A correnteza levou quase tudo, das roupas à lanterna.

Quando amanheceu os quatro foram andando com muita dificuldade e a água ainda na cintura até uma ilhota e subiram em uma árvore. Foram nove horas em cima da árvore até que fossem localizados pelo Corpo de Bombeiros. As buscas começaram cedo, com botes, Defesa Civil e a ajuda de um helicóptero da Polícia Militar, mas somente por volta das 16 horas os quatro foram localizados.