Chirac mantém Raffarin e reforma governo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 30 de março de 2004 as 08:54, por: cdb

O presidente francês, Jacques Chirac, desafiou nesta terça-feira a opinião pública ao manter no cargo seu impopular primeiro-ministro, Jean-Pierre Raffarin, mas ordenou uma reforma no governo após a derrota de seus aliados conservadores nas eleições regionais.

A decisão levou a críticas da esquerda, que acusa Chirac de ignorar o povo francês. Além disso, ela gera dúvidas sobre a velocidade e abrangência de reformas para cortar custos. A Presidência afirmou em um comunicado que a composição do novo gabinete será anunciada na quarta-feira. Chirac adiou por um dia uma visita que faria a Moscou para comparecer à primeira reunião do governo reformado na sexta-feira.

Raffarin, 55, deixou o palácio presidencial sorrindo, após dois dias de tensão em que seu futuro político ficou incerto. O Partido Socialista e seus aliados obtiveram uma ampla vitória na eleição deste mês para os 26 conselhos regionais da França.

Raffarin deverá agora continuar com as reformas que lhe renderam a má fama, como o corte de custos do sistema público de saúde, para tentar reduzir o déficit público do país conforme os limites determinados pela União Européia.

“Se você quer passar por uma rua cheia de buracos, é melhor ir com um carro batido do que com um novo”, avaliou o cientista político Paul Bacot. “Se Chirac quer continuar com as reformas, é melhor que sejam feitas com Raffarin, que já está desgastado e é muito impopular.”

A esquerda recebeu 50 por cento dos votos, contra 37 por cento da centro-direito nas eleições regionais, vistas como um protesto contra o alto índice de desemprego e o programa de reformas.

Pesquisas feitas depois da eleição sugeriram que a maioria dos eleitores desejava a renúncia de Raffarin e a nomeação de um novo primeiro-ministro.