China tem um milhão de vítimas da aids

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 7 de novembro de 2003 as 15:04, por: cdb

O número de pacientes com aids na China alcançou níveis “alarmantes”, disse hoje um dos maiores especialistas mundiais na doença. “Há na China hoje cerca de um milhão de pessoas infectadas”, afirmou o doutor David Ho, diretor-executivo do Centro de Pesquisas da Aids Aaron Diamond, de Nova York.

Segundo ele, a aids “representa obviamente uma crise de saúde pública” na China. “Um problema de tal magnitude tem que ser encarado com grande preocupação pelo governo e, creio, pelo público em geral”, disse Ho. O especialista viajou a Pequim para promover uma cúpula sobre a aids que terá início na próxima segunda-feira e contará com um discurso de abertura do ex-presidente americano Bill Clinton.

Ho foi um dos primeiros especialistas a promover o uso do coquetel de drogas para o tratamento da aids. Graças ao uso de remédios combinados, a aids se transformou, em muitos casos, de uma rápida sentença de morte a uma doença crônica. As autoridades chineses relutam em revelar o tamanho da epidemia da doença no país.

No entanto, recentemente, Pequim mostrou uma maior disposição para combater a doença e apresentou planos concretos para evitar sua disseminação. Em um sinal de abertura ao assunto, o vice-ministro de Saúde Pública da China, Gao Quiang, reconheceu hoje que a luta contra a aids não deu os resultados esperados. “A China enfrenta uma tarefa muito difícil”, disse ele, segundo a agência de notícias Nova China. O ministro anunciou que 5.000 pacientes de aids “com dificuldades financeiras” receberão tratamento gratuito durante o ano de 2004.