China recomenda à ONU cuidado no uso da força

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 26 de junho de 2012 as 16:47, por: cdb

O embaixador chinês na ONU, Li Baodong, quer fim da política de seletividade e da dupla moral no Conselho de Segurança.

O embaixador chinês Li Baodong

O representante permanente chinês das Nações Unidas, Li Baodong, disse nesta segunda-feira (25) em Nova York, que o Conselho de Segurança da ONU deve adotar uma atitude cuidadosa sobre a autorização do uso de força para proteger civis. Segundo Li, a entidade deve abandonar a prática da seletividade e da dupla moral.

O Conselho de Segurança realizou reunião sobre o tema “proteger civis nos conflitos armados”, e ouviu o informe do secretário geral da ONU, Ban Ki-Moon. Segundo o Li Baodong, o órgão deve pensar antes de dar autorização. A China sempre apoia a solução pacífica de conflitos por meio político e acha que a intervenção militar é contraproducente.

Li Baodong afirmou que o Conselho também deve abandonar a prática da seletividade e dupla moral. Ele destacou que, na função de proteger civis, é preciso cumprir os princípios da “Carta das Nações Unidas”, especialmente de respeito à soberania, unidade e integridade territorial de um país, e de não interferir nos assuntos internos. O representante também acrescentou que todos os envolvidos nos conflitos têm de fazer de tudo para proteger civis.

Fonte: Rádio China Internacional

 

..