China elege novo presidente

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 15 de março de 2003 as 08:14, por: cdb

O secretário-geral do partido comunista chinês (PCC), Wu Jintao, 60 anos, foi eleito este sábado presidente da República Popular da China pelos deputados do Parlamento.

Vice-presidente desde 1998, Wu Jintao substitui Jiang Zemin, de 76 anos, que estava no comando do Estado chinês há dez anos.

Wu Jintao, candidato único, foi eleito para um mandato de cinco anos, por 2.937 dos 2.945 votantes da Assembléia Nacional Popular (ANP). Seis deputados se abstiveram de votar.

Membro do “grupo de Xangai” e próximo ao presidente Jiang Zemin, Wu Jintao tornou-se o número dois do Partido Comunista Chinês (PCC) em novembro passado.

Dirigente de Xangai no início dos anos 90, Wu tem a reputação de inteligente, talentoso e hábil.

Para a vice-presidência foi eleito Zeng Qinghong, 63 anos. Filho de um veterano do regime comunista, ele é a pessoa mais próxima de Jiang Zemin.

Por sua vez, Jiang Zemin foi reeleito presidente da comissão militar do Estado pelo Parlamento. Candidato único ao cargo, ele também dirige a comissão militar do Partido Comunista Chinês (PCC).
Depois de abandonar o cargo de chefe do PCC, em novembro passado, e o do Estado, neste sábado de manhã, Jiang confirmou que quer continuar participando da vida política de seu país.

Assim, ele segue os mesmos passos do ex-patriarca Deng Xiaoping, que também encerrou sua carreira política como chefe das Forças Armadas.
Wu Bangguo, de 61 anos, número dois do regime comunista chinês, foi eleito presidente da Assembléia Nacional Popular (ANP). Wu tomará o lugar de Li Peng, de 74 anos, que havia assumido a presidência da ANP em 1998.

O primeiro vice-presidente da ANP é Wang Zhaoguo, de 61 anos, membro do bureau político do PCC desde novembro passado. Wang esteve encarregado dos assuntos de Taiwan nos anos 90.

No total, 15 vice-presidentes, incluindo três mulheres, foram eleitos pelo Parlamento, entre eles o chefe da denominada “igreja católica patriótica” da China, monsenhor Fu Tieshan.