China defende sua atuação nos protestos de 89

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 18 de janeiro de 2005 as 09:44, por: cdb

A China defendeu nesta terça-feira sua mão forte nos protestos de 1989 na praça Tiananmen (Paz Celestial), afirmando que a atuação na época foi correta. A declaração acontece um dia depois da morte do ex-secretário-geral do Partido Comunista chinês Zhao Ziyang.

O ministro das Relações Exteriores, Kong Quan, falou em resposta a questões sobre Zhao, que foi derrubado por se opor à ação militar contra manifestações pela democracia – que foram esmagadas entre 3 e 4 de junho de 1989.

– Os distúrbios políticos e o problema do próprio Zhao já passaram. O que aconteceu em 1989 foi concluído. Os últimos 15 anos mostraram que a decisão da China foi correta. A estabilidade e o desenvolvimento são do interesse da China e do interesse de todo o mundo. O que aconteceu nos últimos anos já provou que o julgamento da época estava certo – disse Kong.

A família de Zhao decidiu não aceitar um enterro de Estado para o ex-dirigente, poupando os líderes da China de um decisão difícil sobre uma cerimônia pomposa, que poderia levar a protestos. Zhao morreu nesta segunda-feira, aos 85 anos, em um hospital de Pequim, após sofrer diversos derrames. Ele viveu sob prisão domiciliar por 15 anos.