China começa a testar em humanos vacina contra gripe aviária

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 21 de dezembro de 2005 as 12:11, por: cdb

A China começou a realizar testes de sua vacina contra a gripe aviária com seis voluntários, disse na quarta-feira a agência oficial de notícias Xinhua. Um total de 120 pessoas, com idades entre 18 e 60 anos, todas de Pequim e todas saudáveis, ofereceu-se para participar dos testes, segundo a agência. Segundo a Xinhua, depois de meia hora de observações clínicas, os voluntários não tiveram uma reação ruim em parte do corpo ou em todo o corpo. Apesar de se prever que os testes durem nove meses, os resultados iniciais podem ser divulgados nos primeiros 120 dias, acrescentou a agência. Não foram publicados maiores detalhes.

A China registrou mais de 30 surtos do vírus H5N1, da gripe aviária. Os cientistas temem que o vírus possa sofrer mutações e adquirir a capacidade de disseminar-se facilmente pela população humana, provocando uma pandemia desastrosa. Houve 139 casos confirmados de pessoas contaminadas pelo H5N1, todos eles na Ásia. Duas pessoas morreram na China em virtude da doença. O número de mortes total é de 71. O chefe da empresa responsável por pesquisar a vacina (a Sinovac Biotech) disse à Reuters no mês passado que seria necessário ao menos um ano antes de ela estar disponível.

O desenvolvimento da vacina, chamada Panflu, começou no ano passado depois dos surtos da gripe aviária na Tailândia e no Vietnã. A fase de testes com animais já chegou ao fim. Especialistas afirmam, porém, que as vacinas para a doença não devem ser capazes de deter a ação de uma variante do H5N1 ainda inexistente e eventualmente capaz de disseminar-se com facilidade entre os seres humanos. Hoje, o remédio Tamiflu, da Roche, é um dos quatro medicamentos que, sabidamente, combateria a gripe aviária. Ele não cura a doença, mas reduz sua severidade e pode evitar novas contaminações.