Cheques sem fundos aumentam 25 por cento no primeiro semestre

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 8 de agosto de 2001 as 12:19, por: cdb

O volume de cheques devolvidos por falta de fundos (em relação ao total de compensados) no primeiro semestre de 2001 teve um aumento de 25% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo estudo nacional da Serasa.

De acordo com o levantamento, o total de cheques sem fundos nos seis primeiros meses deste ano é o maior desde 1991, ano em que foi criado o índice. No acumulado de janeiro a junho de 2001 foram devolvidos, em média, 12,5 cheques em cada mil compensados. No ano passado, a média nesse período foi de 10 devoluções a cada mil cheques compensados.

Na comparação junho 2001/2000, o volume de cheques apresentou alta de 34%. Mas o total de cheques devolvidos em junho de 2001 registrou queda de 10,6% na comparação com maio deste ano, que fechou em 14,1 cheques devolvidos em cada mil compensados, a maior marca já registrada mensalmente desde 1991.

Segundo a Serasa, a vigorosa elevação no nível da atividade econômica a partir do último trimestre de 2000 se estendeu pelo primeiro trimestre deste ano, promovendo o alongamento nos prazos de recebimento de cheques pré-datados e a aceitação não tão criteriosa de empresas menos organizadas, ou seja, aquelas sem metodologia adequada de crédito para a gestão deste meio de pagamento. Isto favoreceu o aumento da inadimplência, com impactos que se sobrepuseram aos dos eventos conjunturais verificados no 1º semestre de 2001.

De acordo com a Serasa, os novos patamares da inadimplência com cheques merecem atenção, devido à redução da atividade econômica e seus possíveis desdobramentos sobre o emprego.