Cheias obrigam 19 mil pessoas a deixarem suas casas, no Pará

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 16 de abril de 2006 as 20:17, por: cdb

Apesar da chuva forte durante todo o fim de semana, o nível do rio Tocantins baixou 30 cm neste domingo, mas as enchentes dos rios obrigaram cerca de 19 mil pessoas a deixar suas casas. O rio ultrapassou o seu nível máximo, de 12 metros, no meio da semana. No sábado, porém, voltou à marca limite, o que ainda é considerado crítico. A previsão é de mais chuva pelo menos até quarta-feira, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). O tempo irá se manter nublado com pancadas de chuva em todas as regiões.

São 19 cidades atingidas pelas enchentes,16 em situação de emergência e três em alerta. O último levantamento da Defesa Civil informa que 116 mil pessoas foram atingidas pelas cheias e aconteceram oito mortes nas bacias dos rios Tapajós, Xingu, Araguaia e Tocantins, o único a ser monitorado pelos institutos de hidrologia. A Defesa Civil não recomenda a volta das pessoas para as casas, mesmo com a baixa dos rios, sem antes uma limpeza nas moradias.

No Estado, há 5 mil moradores desabrigados, quase a metade em Marabá, e 14 mil desalojados. Desabrigados, segundo a Defesa Civil, são todos aqueles que perderam suas casas; desalojados são os que tiveram as moradias danificadas, mas que podem ser recuperadas. Nos dois casos, os moradores podem ser levados a abrigos ou a casas de amigos e parentes. A preocupação, no momento, é com o aumento de doenças em razão da má qualidade da água. Em Anapu, o órgão municipal de saúde detectou um acréscimo de casos de dengue e malária. A proliferação de ratos e outros animais peçonhentos também propicia as infecções, em especial as de pele.