Chávez oferece o Caribe e ingresso da Venezuela no Mercosul é líquido e certo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 29 de junho de 2012 as 17:14, por: cdb
Venezuela
Chávez, presidente da Venezuela, cumprimentou os chefes de Estado do Mercosul e Unasul

Prestes a ser admitido no grupo de países do Mercosul, após a suspensão do Paraguai – onde um golpe de Estado deu lugar à insegurança política no país vizinho – o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, lembrou que “a Venezuela tem o peito aberto para o Caribe”, o que tende a facilitar a exportação de produtos da Argentina, Brasil e Uruguai para os mercados do Hemisfério Norte. Chávez, porém, lamentou ausência do Paraguai, “por não ter um Governo legítimo”, nos encontros dos presidentes do bloco e da Unasul, que acontecem em Mendoza, na Argentina.

O chanceler venezuelano, Nicolás Maduro, representou o país, que ainda mantém o status de membro associado nesta reunião semestral do Mercosul, da qual participam todos os presidentes do bloco integrado por Brasil, Argentina e Uruguai, além dos países associados Equador, Bolívia, Chile, Peru e Colômbia. Após a cúpula do Mercosul, marcada pela ausência de Fernando Lugo, está prevista, ainda em Mendoza, uma cúpula extraordinária da Unasul, para tratar sobre possíveis sanções ao Paraguai. Chávez anunciou, recentemente, a retirada de seu embaixador de Assunção, assim como a cessação a partir desse momento da provisão de petróleo para esse país, em protesto à destituição de Lugo após um “julgamento político” que Caracas qualifica como golpe de Estado.

Na reunião desta manhã, os presidentes Dilma Rousseff, o uruguaio José Mujica e a argentina Cristina Kirchner avaliaram como líquida e certa a possível entrada da Venezuela no bloco, de forma definitiva, após removido o último empecilho à determinação da maioria dos países integrantes do Mercosul. Com a ausência do Paraguai, país que barrava o ingresso da Venezuelana, há anos, há uma janela diplomática aberta para a admissão dos venezuelanos.

Na noite passada, o chanceler brasileiro, Antonio Patriota, lembrou que há “um grande interesse em promover a plena participação da Venezuela, país que já participa das reuniões regulares”.

– O chanceler (venezuelano) Nicolás Maduro está aqui, e nós queremos trabalhar para que se efetive no mais breve prazo a sua plena participação – disse Patriota, para quem a entrada da Venezuela no Mercosul “é um tema que mantém todo seu interesse para os chefes de Estado e de governo”.

Comments are closed.