Chávez é a grande atração do último dia de debates

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 30 de janeiro de 2005 as 13:28, por: cdb

Depois de cinco dias de intensas atividades e sol escaldante, os mais de 100 mil participantes da 5a. edição do Fórum Social Mundial já estão sentindo o cansaço e reduzindo o ritmo de atividades.

Neste domingo, último dia de debates do Fórum, a grande atração é o presidente da Venezuela, Hugo Chávez.

“Hoje está difícil, é domingo e só dá Chávez”, disse uma das organizadoras, que preferiu se identificar. Ela tentava garantir “quórum qualificado” para uma entrevista sobre a corrupção no Peru.

O presidente venezuelano deve participar no final da tarde de um evento no Ginásio Gigantinho — em uma das últimas atividades oficiais do FSM antes da marcha de encerramento, na segunda-feira.

Esta edição do FSM — a quarta realizada na capital gaúcha — foi marcada pela descentralização e pela ampliação dos eixos temáticos.

Aqueles que tiveram a oportunidade e disposição de participar das quase duas mil atividades, espalhadas por uma área de quatro quilômetros de extensão, puderam ouvir, discutir e entrar em contato com movimentos sociais do mundo inteiro.

“Biodança e adoção”, “Criança-animal: o enigma de um grupo multiespécie”, “Quando a Morte Polui:Necrochorume” foram alguns dos temas debatidos no Fórum, ao lado das questões mais tradicionais, como a dívida, o desarmamento, a guerra e o imperialismo.

Desde a marcha de abertura do evento, no dia 26, a diversidade esteve presente.

Palavras de ordem como “Fora Bush” e “Fora FMI” não constrangeram aqueles que fizeram do humor sua forma de protesto. “Você aí veado, vem cá pro nosso lado” substituiu o antigo slogan de trabalhadores “Você explorado, não fique aí parado”, no protesto de um grupo gay.

Já o slogan “Eu aborto, tu abortas, somos todas clandestinas” foi lema de uma passeata promovida pelo movimento “Contra a Globalização Machista, uma Revolução Feminista”.