Chávez conquista maioria absoluta no Parlamento

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 5 de dezembro de 2005 as 09:43, por: cdb

Principal partido de apoio ao governo venezuelano, o Movimiento V República (MVR) proclamou, nesta segunda-feira, a conquista de, no mínimo, 70% dos assentos na Assembléia Nacional da Venezuela. As eleições foram marcadas pela ausência da oposição e o baixo comparecimento dos eleitores às urnas.

– O MVR conseguiu a eleição de 114 deputados – disse o legislador William Lara. A assembléia tem um total de 167 membros.

Segundo o partido, ao somar seu desempenho aos resultados obtidos por partidos aliados do Executivo, o governo praticamente controlará 100% do órgão do Legislativo.  O presidente do Conselho Nacional Eleitoral (CNE), Jorge Rodríguez, afirmou que, com 80% dos votos apurados, a participação no pleito chegou a perto de 25%.

Os principais partidos da oposição venezuelana anunciaram na semana passada a retirada de suas candidaturas, alegando que o sistema eleitoral eletrônico do país violava o segredo do voto e que o CNE estava a favor do governo do presidente Hugo Chávez.

– Com 79,1% das urnas apuradas, a participação relativa foi de 25%, o que significa 2.973.872 eleitores – informou o presidente do CNE, Jorge Rodrígues.

Rodrigues destacou ainda a calma com que transcorreu o período de votação e lamentou as difíceis condições meteorológicas em vários estados venezuelanos, que dificultaram a participação dos eleitores. Cerca de 14,5 milhões de venezuelanos foram chamados às urnas para escolher os 167 parlamentares que vão integrar a Assembléia Nacional no período 2005-2010, 12 representantes que farão parte do Parlamento Latino-Americano e cinco do Parlamento Andino.

O presidente do CNE declarou que o Movimento V República (MVR), partido do presidente Hugo Chávez, obteve no Parlamento Andino, segundo resultados parciais, 89,25% dos votos. O MVR também conseguiu no Parlamento Latino-Americano 88,80% dos votos, segundo a última parcial. Rodríguez não informou quando serão divulgados os resultados finais da eleição dos 167 deputados que farão parte da Assembléia Nacional no período 2005-2010.

O fato mais notório da eleição foi a retirada dos principais partidos da oposição, que romperam o compromisso de participação que haviam feito com as autoridades eleitorais diante das delegações da Organização dos Estados Americanos (OEA) e da União Européia (UE). As forças da oposição argumentaram sua retirada por sua desconfiança no CNE, ao que acusam de pró-governamental, pelo sistema automatizado de votação e pela falta de transparência de todo o processo.

O pleito foi observado por mais de 400 especialistas eleitorais internacionais, liderados pela OEA e pela UE. Cerca de 120 mil soldados e reservistas atuaram para garantir a segurança durante a votação. Antes do anúncio da retirada da oposição as pesquisas previam que os candidatos pró-governamentais conquistariam em torno de 130 vagas das 167 da Assembléia Nacional.