Charles obriga Harry a visitar Auschwitz depois da gafe

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 14 de janeiro de 2005 as 09:57, por: cdb

O jornal britânico “The Sun” disse em matéria publicada nesta sexta-feira que o príncipe Charles ordenou que seu filho Harry visite Auschwitz, depois de ter causado um escândalo mundial ao se fantasiar de nazista em uma festa.

O tablóide afirmou ainda que Charles, herdeiro do trono britânico, ficou “incandescente de raiva” com seu filho mais novo, de 20 anos, e quer que ele faça uma viagem particular ao campo de concentração para aprender mais sobre o Holocausto.

Grupos judaicos sugeriram a Harry que visite o antigo campo de concentração nazista do sudoeste da Polônia como forma de mostrar seu arrependimento por ter usado uma braçadeira com a suástica e uma camisa com motivos nazistas em uma festa à fantasia no sábado.

O “Sun”, que revelou a gafe nesta quinta-feira, citou uma fonte da casa real segundo a qual Charles pediu ao filho mais velho, William, que acompanhe Harry a Auschwitz.

– Não haverá publicidade e eles irão com uma entidade beneficente judaica – disse a fonte ao Sun.

– O pai deles já visitou Auschwitz e acredita que Harry e William iriam se beneficiar de ter uma maior compreensão dos horrores, por meio de uma visita de verdade – disse ainda.

O jornal disse que William, 22 anos, aceitou parte da culpa no escândalo porque estava com o irmão na loja de fantasias quando ele escolheu as roupas nazistas para a festa, realizada no sudoeste da Inglaterra.

Um porta-voz da casa real disse que não comentaria conversas particulares entre Charles e seus filhos.

– Não descartamos (a visita ao campo de extermínio) nem confirmamos – disse.

A gafe de Harry ocorre a duas semanas do 60º aniversário da libertação dos sobreviventes de Auschwitz. O regime nazista (1933-45) matou seis milhões de judeus e milhões de pessoas de outros grupos, como poloneses, homossexuais, prisioneiros soviéticos e ciganos. Houve ainda milhões de pessoas aprisionadas e escravizadas.

Harry, filho da falecida princesa Diana e terceiro na linha de sucessão, pediu desculpas por sua “má escolha da fantasia”. Mas a sucinta mensagem não bastou para aplacar a polêmica, que domina os noticiários da TV e as capas dos jornais.

O popular jornal “Daily Mail” publicou uma manchete em letras garrafais exigindo que Harry “Saia daí e peça desculpas adequadamente!”. O “Daily Star” chamou Harry de “bobo da corte”.

O “Guardian” lembrou que “este jovem pode um dia ser nosso rei, o que é um pensamento sombrio para muitos”.

O sóbrio “The Times” qualificou seu pedido de desculpas de “débil” e disse que o príncipe está em “um dúbio grupo de jovens auto-indulgentes que aparentemente se contenta com uma vida de privilégios sem sentido”.

O “Mirror” foi mais moderado, lembrando aos leitores que ele era muito novo quando sua mãe morreu, em 1997, num acidente de carro em Paris, e que por isso “merece um pouco de compreensão”.