CEF destina R$ 5 milhões para museus e acervos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 7 de janeiro de 2005 as 16:01, por: cdb


Os Estados do Rio de Janeiro e São Paulo ficaram com metade dos R$ 5 milhões que a Caixa Econômica Federal (CEF) destinará a museus e acervos em 2005. Sete projetos paulistas e seis fluminenses foram contemplados enquanto o restante do dinheiro foi dividido entre nove Estados. A organização do Arquivo Central de Negativos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), no Rio de Janeiro, receberá R$ 500 mil, enquanto o Museu do Ipiranga terá R$ 310 mil para reformular sua exposição permanente, com recursos multimídia.

– Recebemos 247 propostas, a maioria do eixo Rio/São Paulo que concentra o maior número de instituições e 25% da população brasileira – explicou o presidente da CEF, Jorge Mattoso.

– Mesmo assim houve descentralização, pois cidades do interior do País também foram contempladas.

O ministro da Cultura, Gilberto Gil, lembrou que a área dos museus que, no último ano, recebeu R$ 16 milhões de programas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da Caixa, foi uma das que melhor apresentaram suas demandas.

– Era uma área que estava praticamente ignorada, abandonada, com pouca visibilidade e, no entanto, é como um vulcão, tem muita atividade lá no fundo – elogiou Gil.

– Essa atividade foi que proporcionou estímulo e demandas ao ministério para que esses projetos fossem realizados. Hoje, nosso programa de museus não é invejável porque estamos longe da situação ideal mas com relação ao passado está maravilhoso.

Além desses R$ 5 milhões, a Caixa destinou R$ 6 milhões a quatro museus federais, R$ 1,9 milhão para o Nacional de Belas Artes, outro tanto para o Histórico Nacional, ambos do Rio, R$ 1 1 milhão para o da Inconfidência, em Ouro Preto, e igual quantia para o Museu Nacional da Cultura Afro-Brasileira, de Salvador.

– A distribuição por edital deve ocorrer de novo em 2005 e, se possível, tornar-se um programa perene, mas ainda não sabemos quais serão as cifras para 2005 – adiantou Mattoso.
-Mas é preciso lembrar que a Caixa investiu, em 2004, R$ 24 milhões em cultura, buscando descentralizar a sua circulação.