Cassação de registro de Gratz é mantido por TSE

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 12 de março de 2003 as 19:58, por: cdb

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral, Barros Monteiro, negou nesta quarta-feira medida cautelar ajuizada pelos advogados do ex-presidente da Assembléia Legislativa do Espírito Santo, José Carlos Gratz, que pretendiam que lhe fosse assegurado o mandato de deputado estadual.

Gratz teve seu registro de candidatura cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral do estado por abuso de poder econômico, e por isso não chegou a ser diplomado no cargo para o qual se reelegeu, em dezembro do ano passado.

Essa é a segunda vez que o ex-presidente da Assembléia recorre ao TSE para tentar anular decisão dos juízes do TRE/ES.

No despacho, o ministro observou também que o pedido de medida cautelar é “manifestalmente descabida.” Ele considerou que a inicial do recurso não foi instruída com os documentos essenciais “à exata compreensão da controvérsia, entre os quais, as cópias do acórdão regional e do recurso especial. É de se notar que o processo cautelar, embora dependente do principal, é procedimento autônomo, devendo ser instruído com as peças imprescindivéis à sua análise.”-concluiu o ministro.