Casamento de 700 casais na Bélgica chama atenção para racismo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 21 de março de 2007 as 19:48, por: cdb

O primeiro representante comunal negro da região de Flandes, norte de Bélgica, Wouter Van Bellingen, celebrou nesta quarta-feira 700 casamentos simbólicos em sua cidade, São Nicolau, onde três casais recentemente se negaram a ter sua cerimônia matrimonial realizada por ele em função da cor de sua pele.

Van Bellingen, de 34 anos, é de origem ruandesa e foi adotado por pais belgas. Ele é adjunto do prefeito de São Nicolau e encarregado do registro civil desde dezembro e se dirigiu a todos os casais, homossexuais e heterossexuais, brancos ou mestiços, reunidos na Grande Praça, declarando-os “unidos pelos vínculos do matrimônio”.

O caso atraiu a atenção da imprensa e manifestações de solidariedade principalmente nesta quarta-feira, que é o Dia Internacional Contra o Racismo.

Wouter Van Bellingen, eleito por um partido de esquerda, acabou se convertendo no símbolo das dificuldades que os belgas de origem estrangeira vivem para se integrar em Flandes, onde mais de 20% dos eleitores votaram no partido de extrema-direita Vlaams Belang nas últimas eleições municipais.

Falando à imprensa, no entanto, Van Bellingen insistiu no fato que, apesar de tudo, “a maioria do povo flamenco não é racista”.