Campanha do PT recomeça em alta mas governo retoma o `terrorismo econômico’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 12 de outubro de 2002 as 02:14, por: cdb

Após receber o apoio do PSB do Rio de Janeiro e diante das próximas pesquisas eleitorais que tendem a trazer o candidato do PT à Presidência da República com 68% das intenções de voto do eleitor brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva criticou o descontrole no mercado cambial e culpou o atual governo pela má gestão da economia do país. Já o presidente do PT, deputado José Dirceu, optou por ser mais contundente:
– Não sei onde o Serra quer chegar com isso. Ao lançar mão novamente do terrorismo econômico, ele só piora a situação financeira e fragiliza a posição do Brasil junto aos investidores – afirmou.
Nesta sexta-feira à noite, na sede da Associação Brasileira de Imprensa, o ex-adversário derrotado nas eleições de domingo passado, Anthony Garotinho, e sua mulher, a governadora eleita do Estado do Rio de Janeiro, Rosangela Matheus, a Rosinha Garotinho, juntos com lideranças do Partido Socialista Brasileiro do interior do Estado e da capital fluminense garantiram o apoio a Lula.
– Aqui não tem fingimento não. Quem não votar em Lula será expulso do Partido – afirmou Garotinho em seu discurso.
Lula agradeceu o apoio e disse que a aliança firmada entre os dois partidos não se destina apenas aos “15 dias desta campanha”, mas durante seu possível governo, caso vença as eleições.