Câmbio faz indústria de citros reduzir investimentos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 13 de janeiro de 2005 as 12:30, por: cdb

O atual cenário cambial, com o dólar a R$ 2,70, leva a indústria processadora de suco de laranja brasileira a reduzir custos e investimentos, de acordo com a Associação Brasileira dos Exportadores de Cítricos (Abecitrus).

– O setor (exportador de suco de laranja) está sendo muito prejudicado. A tendência é adiar investimentos e adotar um programa adicional de redução de custos – afirmou o presidente da Abecitrus, Ademerval Garcia.

Não há alternativas para a indústria produtora de suco de laranja brasileira, pois praticamente toda a sua produção é vendida no Exterior, lembra Garcia.

– Nós já exportamos com o real valendo 83 centavos de dólar e também com o dólar custando quatro reais. O problema agora é que o setor já trabalha com margens comprometidas e os custos de produção e de logística subiram muito – explicou Garcia. – Em virtude das ameaças internacionais, portos precisaram ser adaptados e o custo do frete aumentou muito.

Os primeiros custos e investimentos a serem cortados ou congelados, na opinião do executivo, serão em pesquisa, tanto para o produtor da fruta quanto para a indústria.

– O Fundecitrus (Fundo de Defesa da Citricultura) vai ter mais problema, pois faz parte do custo dos dois lados e não tem como explicar para o produtor que é preciso aumentar o investimento em pesquisa nesse momento, pois ele também vende em dólar – explicou Garcia, que também preside a entidade de pesquisa mantida pela indústria e pelo c itricultor, com um orçamento anual de US$ 15 milhões.

– As tecnologias e pesquisas mais sofisticadas serão suspensas até que o cenário mude – disse.