Câmara marca audiência com Gugu para quarta

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 22 de setembro de 2003 as 18:05, por: cdb

O apresentador Gugu Liberato, do SBT, foi convidado a comparecer à Comissão de Ciência e Tecnologia na próxima quarta-feira, às 11h30, para falar sobre a falsa reportagem exibida no seu programa “Domingo Legal”, no dia 7 de setembro. As informações são da Agência Câmara.

Na matéria, dois supostos integrantes da organização criminosa PCC, encapuzados, fizeram ameaças a várias personalidades, como o vice-prefeito de São Paulo, Hélio Bicudo, e o padre Marcelo Rossi, e apresentadores de outras emissoras.

Um dos homens confessou à polícia que a entrevista foi uma farsa e que foi pago para participar. Até agora, Gugu Liberato tem negado sua participação na reportagem e responsabilizado a equipe de produção do programa.

A deputada Mariangela Duarte (PT-SP), uma das autoras do requerimento, sustenta que cabe à Comissão de Ciência e Tecnologia não só analisar as concessões de rádio e TV, mas alertar para as responsabilidades de quem recebe o canal.

O caso, segundo ela, permite que se discuta a revisão das concessões. “Tem que haver contrato e tem que se estabelecer cláusulas socioculturais, ou seja, ninguém pode receber um canal de TV e editar programas que não cumpram a lei. O caso dele é gravíssimo, infringe o Código Penal, não é brincadeira”.

Mariangela Duarte declara que o caso de Gugu Liberato não é isolado na TV. Mas que ele está sendo alvo por ter extrapolado todas as regras e praticado o crime de incitação à violência.

A audiência pública com o apresentador foi aprovada pela comissão no último dia 17. O presidente da Comissão, deputado Corauci Sobrinho (PFL-SP), marcou a data da audiência e mandou o convite a Gugu Liberato.

Corauci Sobrinho explica que uma comissão permanente, como a de Ciência e Tecnologia, não tem poder para convocar uma pessoa, apenas para convidar. Por isso, o apresentador poderá ou não comparecer. Mas a audiência pública, informa o deputado, poderá ser reforçada pela Comissão de Direitos Humanos, que também quer ouvir o apresentador do SBT.