Câmara de Deputados do Chile aprova tratado com os EUA

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 8 de outubro de 2003 as 01:17, por: cdb

A Câmara de Deputados chilena aprovou na última terça-feira por 87 votos a favor, oito contra e oito abstenções o Tratado de Livre Comércio (TLC) entre Chile e Estados Unidos. O ato foi realizado após analisar o acordo alcançado por ambos os países em 6 de junho passado em Miami.

A chanceler chilena, Soledad Alvear, ressaltou que ‘esta aprovação é fruto de um grande trabalho entre o governo e todos os parlamentares’ e comentou que espera que o acordo seja ratificado posteriormente pelo Senado.
 
– O tempo mostrará que o acordo é positivo para o Chile – acrescentou a ministra das Relações Exteriores.

A votação aconteceu horas depois de mais de 200 manifestantes contrários ao TLC terem sido expulsos pela polícia de Carabineiros das tribunas da Câmara Baixa em Valparaíso, 100 quilômetros ao oeste de Santiago.

Os militantes, que carregavam cartazes e gritavam palavras de ordem contra os EUA, foram liderados por dirigentes do Partido Comunista e da CUT (Central Única dos Trabalhadores).

– A política norte-americana busca debilitar o Mercosul e dividir os países latino-americanos, para assim promover a Alca (Área de Livre Comércio das Américas) sem maiores dificuldades – afirmou Jaime Gajardo, um dos líderes da manifestação.

Chile e Estados Unidos firmaram o acordo bilateral após dois anos de negociações e 14 reuniões técnicas. As disposições do tratado já foram ratificadas pelo Congresso dos Estados Unidos em 31 de julho. O governo do presidente Ricardo Lagos espera colocar os mecanismos do acordo em vigência a partir de 1o de janeiro próximo.

O TLC será enviado agora ao Senado chileno para sua análise e votação. O tratado pretende estimular, expandir e diversificar o intercâmbio comercial bilateral; eliminar os obstáculos para o comércio, facilitar o movimento de bens e serviços; e promover condições de concorrência leal.