Cafu está entre os mais animados com a seleção

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 30 de março de 2004 as 12:51, por: cdb

Veterano de três Copas do Mundo, mas no auge de sua experiencia, o capitão da seleção brasileira, o lateral  Cafu, não considera a classificação atual do Brasil nas eliminatórias uma ameaça – equipe está em terceiro lugar, atrás de Paraguai e Argentina.

Ele garante a participação do Brasil no próximo Mundial e também minimiza o enfoque da imprensa paraguaia ao jogo desta quarta-feira, tido pela maioria da mídia como de risco para a posição do Brasil na competição.

“Pouco importa se estamos em terceiro, se vamos ficar em quarto ou quinto. Nas últimas eliminatórias foi assim e ganhamos o Mundial. Não vejo importância nisso”, disse o lateral.
Ele não acredita em duelo pela liderança do torneio e defende que o time dirigido por Carlos Alberto Parreira atue sem preocupação com o clima de rivalidade criado pelos paraguaios.

 Cafu reagiu com ironia ao ser perguntado sobre os problemas apontados pela comissão técnica da seleção para o jogo. “Fuso horário, falta de treino, calor, cansaço; ouço falar disse há 14 anos, que é o meu tempo de seleção”, disse.

O primeiro item citado pelo lateral refere-se a maior parte do grupo convocado, que joga na Europa. Quanto a temperatura, apesar de sua ressalva, ela pode ter influência no desempenho dos atletas. “Estamos em final de temporada na Europa, tem um peso sim. Mas temos todas as condições para chegar em campo e jogar para vencer.”

Alguns atletas sentiram bastante a diferenca de temperatura. Quem veio da Inglaterra, como Gilberto Silva, lembrou que nevou no país no fim de semana. “Vamos superar os problemas e ponto final”, continuou Cafu, em clara demonstração de otimismo.

 Ele ressaltou a qualidade do time do Paraguai, destacando Cardoso e Roque Santa Cruz. Fez também menção a Arce e as cobrancas de falta do ex-lateral do Palmeiras. “Setenta por cento dos gols do Paraguai surgem de bolas paradas.”