Caças dos EUA e Reino Unido atacam radares iraquianos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 8 de março de 2003 as 19:10, por: cdb

Caças dos EUA e do Reino Unido atacaram neste sábado um sistema móvel de radares iraquiano na zona de exclusão aérea do sul do país, disse uma declaração do Comando Central militar norte-americano.

O ataque, que foi o segundo nos últimos dias contra a mesma área -370 quilômetros a oeste de Bagdá-, foi uma resposta a ameaças às patrulhas regulares, afirmou a declaração.

Armas de precisão foram usadas para mirar um sistema de radar de mísseis móvel. Um sistema similar e uma artilharia antiaérea foram atacados na quarta-feira (5) e ontem.

Os Estados Unidos e o Reino Unido já enviaram mais de 200 mil tropas para a região do golfo Pérsico, e autoridades de defesa norte-americanas disseram que aviões dos dois países recentemente mais do que dobraram as patrulhas para pelo menos 500 por dia nas zonas de exclusão aérea ao sul e norte do Iraque.

A zona de exclusão aérea é um local onde aviões iraquianos estão proibidos de voar.

Oficialmente, os aviões dos EUA e do Reino Unido patrulham diariamente as zonas de exclusão aérea impostas depois da Guerra do Golfo (1991) com o intuito de proteger as minorias curda, no norte, e xiita, no sul, de ataques da Força Aérea iraquiana.

Nas zonas de exclusão, uma no norte e outra no sul do país, o Iraque não pode manter aviões, tanques nem outros armamentos, de acordo com determinação dos EUA, do Reino Unido e da França. Nenhuma resolução da ONU (Organização das Nações Unidas), nem Bagdá, reconhece tais zonas.