Bush chega ao Egito para cúpula com líderes árabes

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 2 de junho de 2003 as 17:28, por: cdb

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, chegou ao Egito nesta segunda-feira para discutir com líderes árabes o apoio deles ao “mapa da paz”, plano liderado por Washington com o objetivo de encerrar o conflito entre israelenses e palestinos.

Em sua primeira visita presidencial ao Oriente Médio, Bush se encontrará na próxima terça-feira com líderes do Egito, Barein, Arábia Saudita e Jordânia, assim como com o primeiro-ministro palestino, Mahmoud Abbas, na estância de Sharm el-Sheikh, no Mar Vermelho.

O “mapa da paz” – elaborado pelos EUA, Organização das Nações Unidas (ONU), União Européia e Rússia – prevê uma série de medidas recíprocas por israelenses e palestinos até a criação de um Estado palestino independente em 2005.

– O encontro é importante para esclarecer que a liderança árabe está por trás e apóia o mapa da paz e os esforços do presidente, e que desempenhará seu papel na assistência à Autoridade Palestina para restabelecer as organizações e capacidade de segurança dela – disse o secretário de Estado norte-americano, Colin Powell, enquanto voava ao Egito antes de Bush chegar ao país.

Powell disse a repórteres que o encontro também era importante para mostrar que os líderes árabes vão “denunciar, tão fortemente como espero que os palestinos façam, o terror e a violência e o apoio que é dado àqueles que praticam o terror e a violência”.

Após as conversações com líderes árabes, Bush viajará à Jordânia para uma cúpula na próxima quarta-feira com o primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, e seu homólogo palestino, Abbas.

Antes de chegar ao Egito, Bush disse que o processo de paz é uma iniciativa difícil e que todos no Oriente Médio devem assumir suas responsabilidades.

ÁRABES PRESSIONAM ISRAEL

Os líderes árabes deverão pressionar os EUA a usar sua força sobre Israel, pois temem que Sharon possa enfraquecer o “mapa da paz” porque ele o endossou somente depois de Washington ter afirmado que avaliaria suas preocupações.

Logo depois de ter chegado ao Egito, vindo da Itália, Powell reuniu-se com os ministro das Relações Exteriores do Egito, Ahmed Maher, Arábia Saudita, príncipe Saud al-Faisal, e outros ministros árabes na estância turística.

Os ministros das Relações Exteriores árabes reuniram-se no início do dia para se preparar para a cúpula, que também deve discutir a situação do Iraque e o combate ao terrorismo.

– Estamos à beira de uma nova era. Não queremos, claro, ser superotimistas porque entendemos que haverá muito trabalho pesado – disse o ministro do Exterior da Jordânia, Marwan al-Muasher, antes da reunião ministerial árabe.

Os líderes árabes que participarão da cúpula são o presidente egípcio, Hosni Mubarak, o príncipe saudita Abdullah, o rei do Barein, Hamad bin Isa al-Khalifa, o rei Abdullah da Jordânia e Abbas.

Questionado se a cúpula da próxima quarta-feira na cidade portuária jordaniana de Aqaba terminaria com medidas concretas, Powell afirmou que “declarações sempre podem vir antes das ações, mas esperamos ação. Não basta ter declarações e palavras”.

Perspectivas de progresso nas negociações melhoraram depois que um diplomata em Jerusalém afirmou que Sharon vai anunciar na Jordânia a retirada de alguns colonos judeus de assentamentos. A informação seguiu a promessa de Abbas de deter a violência de grupos militantes.