Bush assina lei para a construção de muro na fronteira com o México

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 26 de outubro de 2006 as 19:55, por: cdb

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, assinou nesta quinta-feira a lei que ordena o construção de uma cerca dupla em algumas partes da fronteira entre os Estados Unidos e o México. Durante uma cerimônia na sala Roosevelt da Casa Branca, Bush assegurou que a nova lei “protegerá o povo americano e fará com que as fronteiras sejam mais seguras”.

O presidente americano lembrou que a imigração ilegal aumentou na última década devido ao fato de que, “infelizmente, os EUA não mantiveram o controle absoluto da fronteira”. Bush destacou as conquistas de seu Governo para aumentar a segurança na fronteira sul e lembrou que a verba destinada a isso aumentou de US$ 4,6 bilhões em 2001 para US$ 10,4 bilhões este ano.

Até 2008, o Governo federal terá duplicado de 6.000 a 12.000 o número de agentes da Patrulha Fronteiriça. A lei, segundo Bush, “aprofunda estes progressos”. No entanto, Bush acredita que ainda resta muito a ser feito na reforma migratória e declarou que trabalhará com o Congresso para encontrar “um equilíbrio” entre as distintas posições.

Bush defende a criação de um programa de trabalhadores temporários, algo que os republicanos mais conservadores rejeitam, pois o interpretam como uma via para anistiar os imigrantes ilegais.
O presidente insistiu em que se opõe a uma anistia para estes imigrantes, porque, segundo ele, os milhões de “imigrantes ilegais” que já estão nos EUA não merecem uma via automática para a cidadania.

A chamada “Lei do Muro”, que autoriza a construção de uma dupla cerca de 1.226 quilômetros em alguns pontos da fronteira sul, foi rejeitada pelos grupos que defendem os direitos dos imigrantes. Estas organizações sustentam que o muro não é a solução para as deficiências do atual sistema de imigração americano e defendem uma reforma migratória ampla e humanitária.