Brasileiro é o novo diretor-adjunto do FMI

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 23 de outubro de 2006 as 21:56, por: cdb

O diretor-executivo do Fundo Monetário Internacional (FMI), Rodrigo Rato, nomeou nesta segunda-feira, o brasileiro Murilo Portugal para ser novo diretor-adjunto do órgão. Portugal ocupou o cargo de secretário do Tesouro Nacional entre os anos de 1992 e 1996. Além disso, foi secretário-executivo da Fazenda de abril de 2005 a março de 2006, durante a gestão do ex-ministro Antonio Palocci.

O brasileiro já havia integrado a diretoria do FMI como representante de Brasil, Colômbia, República Dominicana, Equador, Guiana, Haiti, Panamá, Suriname e Trininad e Tobago, entre 1998 e 2005.

A diretoria do FMI deve confirmar formalmente nos próximos dias a indicação de Portugal para um período de cinco anos, embora Rato já tenha consultado os diretores do Fundo.

O funcionário brasileiro substituirá o mexicano Carstens, que deixou o cargo para integrar a equipe do presidente eleito Felipe Calderón, provavelmente como ministro da Fazenda. O FMI tem três diretores-adjuntos. Um deles geralmente é americano e assume como número dois da instituição.

No momento, o americano John Lipsky e o japonês Takatoshi Kato ocupam os cargos, à espera de Murilo Portugal.