Brasil está disponível para sediar encontro da ONU com as Farc, diz Lula

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 16 de setembro de 2003 as 18:53, por: cdb

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta terça-feira ao presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, que o Brasil está disponível para sediar um encontro entre as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e a ONU para discutir o conflito com a guerrilha marxista, a maior do país.

– A questão da paz na América do Sul interessa ao Brasil e a todos os países da América do Sul e da América Latina. Faremos de tudo que for possível para manter a maior tranqüilidade e fortalecer a democracia no nosso continente – afirmou o presidente.

Lula lembrou que na reunião do grupo do Rio, em Cuzco, houve a proposta de que a ONU assumisse a tarefa de tentar negociar um processo de paz na Colômbia. E afirmou:

– O Brasil, obviamente, concordou com isso. Quero na frente do presidente Uribe dizer que o Brasil terá todo o empenho para colaborar, desde que a Colômbia e a própria ONU entendam que deve ser feito desta forma. Só nos mexeremos se houver um pedido da ONU ou da Colômbia. Estou otimista de que a ONU, com as negociaçoes, vai saber encontrar uma saída tranqüila e pacífica para a situação da guerrilha – afirmou o presidente, em entrevista, depois de participar da reunião da Organização Internacional do Café, em Cartagena, na Colômbia.

Irritado com as perguntas dos jornalistas sobre as Farc, o presidente colombiano tentou desviar a entrevista para o tema da conferência: o café.

– Estamos procurando salvar os empregos de 100 milhões de produtores de café no mundo. Essa é uma das soluções para que o terrorismo deixe de ser uma tentação para setores pobres da sociedade colombiana – disse Uribe, que agradeceu o apoio de Lula e dos países que fazem parte do grupo do Rio, do
qual surgiu a proposta de a ONU intermediar um acordo de paz na Colômbia.

– Quero agradecer ao grupo do Rio pelo apoio que nos tem dado. Quero terminar a resposta dizendo que a Colômbia tem plena confiança na república irmã do Brasil, em toda boa vontade do presidente Lula, que está disposto a ajudarnos e a fechar a fronteira ao terrorismo, ao narcotráfico e ao tráfico de armas e também quando a ONU quiser abrir as portas para entendimentos, se essa for a opção dos terroristas – disse Uribe.